segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Será?

   "A primeira vez que foi amor, foi pueril. Foi bonito, doce, inocente, sutil. Foram cartas, beijos de quimera e quase nenhuma paquera. Foi resquício de infância.
  A segunda, foi avassaladora. Foi fogo, foi desejo, foi hormônio, foi segredo. Foi a primeira vontade, a primeira saudade...
  Da terceira em diante, foram luas. Hoje talvez não fosse, não era e nem seria. Foram pedaços escritos na areia, sem lápis nem alegria. Duravam o tempo do nascer ao fim do dia...
  Da primeira vinda, de fato, na fase adulta, ao que hoje chamo fiel retrato, foi dor. Foi lamento, intento. Foram traves, sem nenhum tento. Foram gols, sem goleiros...
  Da segunda, foi amor. Foi registro, foi amor. Foi destino, foi menino. Fui menina, foi amor. Fui boba, foste também. Fui sua, foste meu. Fui flu, foste vasco, num belo fla x flu em dia de clássico. Fui adulta, fui perdendo. Foste esquecendo, fui apagando. No fim das contas, não ficou nenhum pedaço. Fui ficando, e você foi indo, embora..."

3 comentários:

Luanna Doce Melblogspot.com disse...

Garota, voce é foda! Escreves muito bem. Num tempo onde todo mundo só copia e cola, voce arasa. Parabens

Luh Mahe disse...

=(

Fernanda Azevedo disse...

Porrannn... tirando que vc é tricolor, de fato, foda é te define.
Gostei.
Beijo.