sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Eu dei pro cara errado!


   Não existe uma fórmula perfeita pra nada nessa vida, a não ser a fórmula da Coca Cola. Nem Pink e Cérebro conseguiriam desvendar essa coisa louca na nossa vida chamada "interesse", ou trocando em miúdos e transferindo ao tema principal do post, chamado "amor".
  Eu costumo dizer que dei pro cara errado, e confesso que o dei mesmo! Dei achando que aquilo satisfatoriamente me preencheria de alguma forma, me deixaria de pernas pro ar, mas me enganei. Dei de todas as maneiras e posições escusas que alguém poderia imaginar, e depois de perder meu tempo dando a coisa mais preciosa que tenho pro cara errado, a ficha caiu.
 A gente costuma fazer coisa na vida que acaba destoando do verdadeiro  e principal objetivo nessa esfera toda, que é "equilíbrio sentimental". Passamos a vida a desperdiçar sentimentos com pessoas cujo único interesse é somente te sugar no que de melhor você possa oferecer e depois cair fora. Comigo não foi diferente. Desperdicei uns bons longos meses ta, mentira, foram anos! dedicando um amor, um sentimento inenarravelmente gigante a uma pessoa que no fundo só me via como a 'amiga gostosa e inteligente' que potencialmente daria pra ele. Eu dei todo o meu amor, que um dia sonhei em dar, pro cara errado!
  Não fiz canções, não fiz declarações nem tampouco chorei horrores ao telefone por ele. Eu simplesmente amei o cara que surgiu como uma porra de uma nave espacial em Guarabira ou como o Ronaldo numa sauna gay, ou seja: surgiu como algo completamente inesperado, embora fosse sabido que um dia, surgiria de maneira gigantesca.
  Amei e não tenho vergonha de dizer, embora pareça a vida inteira. Guardei esse sentimento a vida inteira e quando pensei que finalmente poderia expulsá-lo de mim para que ele fosse de alguém, o filho da mãe cara olha pra mim e diz que além de gostosa, eu sou como a irmã mais nova dele.
  Quem falou que eu queria ser a irmã?
  Onde guardaria essa porcaria toda voando dentro de mim?
  As pessoas não pensam duas vezes antes de magoar outrém e isso é fato: nunca vi ninguém preocupado em como responder um 'não'. Durante a vida, iremos encontrar pessoas dispostas a nos fazer sofrer, e esteja atento a esse momento.
  Eu dei, pro cara errado. Dei tudo o que de melhor havia dentro de mim, e foi gratuito. Não pedi nada em troca, nem ele tinha obriação de retribuir, a não ser carinho a alguém que o dedicava um coração inteiramente encharcado de amor. Por milhas e milhas acho que andarei me mantendo dentro dessa masmorra pesada e amarga, desde que mantenha incólume dessa agonia novamente. Não há nada mais irritante para uma mulher do que ouvir que ela é tudo de bom, mas que como sabão em pó, vai ser sempre aquela que limpa, mas nunca a que amacia o que por ventura venha a ser, o coração em têxtil.
  
"If i could start again, a million miles away, i'd keep my self, i would find a way"
.

Um comentário:

Samuel Valentim Afonso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.