quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Unico?

 



A química é mesmo uma coisa incrivel. Quando a gente menos espera, ela surge, e destroi seu pseudo cerne de maneira que quando se nota, já se foram as notas de juizo que você nutria a duras penas sem saber como. É aquela velha coisinha que acontece, quando você olha de lado, e de repente, surge a mesma vontade de novamente se virar, e compreender o por quê do interesse.Talvez nada, aparentemente, mas, ao acontecer, já era.Você não tem tempo de pensar no por quê de estar acontecendo essa coisa mágica chamada 'atração' ou simplesmente, dar a resposta praquela perguntinha escrota que te circunda a mente: Poxa, será que to afim?
A quimica é mesmo uma maldita, que nem eu [vide Felipe F.]. Aos poucos, você vai deixando de ser objeto, e passa a ser somente desejo, passando também pelos encalços do tesão, amor, paixão, ou seja lá o que for sentido por você. De repente, vai surgindo um espaço dentro da gente chamado 'vontade', que ao se misturar com a atração, nos ferra completamente.Nos deixa imunes, incapazes de pensarmos sozinhos e passando agora, a raciocinar com os preceitos da vontade, do querer bem. Você já nem mais raciocina, ou pensa no por quê de estar sentindo e fazendo tudo isso. As vezes ligam pra falar bobagens, mandam torpedos sem sentido ou até aparecem de surpresa, na intenção de se fazerem notar. É essa justamente a intenção de quem está apaixonado, ou pelo menos, interessado em alguem, e essa vontade não é daquelas que ''dá e passa'' ou as que sufocamos com compras no shopping e saídas com caras[ no caso das mulheres] inteligentes e bonitos.É uma premissa maior, daquelas de nos fazer perder o fôlego, a razão e o bom senso em certos casos. Mas, que bom que somos estupidamente seres humanos incapazes de prever o futuro e justamente, fazer tudo ao bel prazer da carne e do coração! Talvez seja ridiculo para alguns, o fato de ser sincero, e transmitir a outrém, o que cá dentro está guardado. Outrossim, tem gente que se esconde atras de uma máscara dura, impermeável e intransponivel [redundante]. Posso estar cometendo uma verborrágica tremenda, ao tentar descrever o que se passa quando 'a quimica acontece', mas perdoem o eco das palavras: o amor pede 'licença'.
Decidi falar dele [o amor] desde que um dos meus melhores amigos, o Barone, simbolo masculino maior de hombridade que conheço, começou a namorar. E o que isso tem a ver? Simplesmente, porque não há como negar a beleza que se vive quando se ama. Ganha-se qualidade de vida tremenda e a ONU certamente deve investir em fazer campanhas para que as pessoas se apaixonem mais. Com todo o respeito aos céticos de plantão em meu blog, mas com amor, tudo vira doce! O amor ameniza algumas reações as quais estamos intimamente ligados em nosso dia-a-dia, como por exemplo: se estressar no transito!
Já tentou dirigir numa caótica cidade, as 18h, ouvindo 'a Hora do Brasil' com o coração triste, pesado e sem a menor esperança de se renovar sentimentalmente? É uma droga!!! Digo isso por experiencia própria, a retirar 'A hora do Brasil' e incluir um cd do Chico Buarque.
O amor potencializa as boas reações as quais estamos cegamente acostumados a não perceber.
Entendam com reservas: eu não estou amando ninguem , mas simplesmente o fato de estar de peito aberto pra tal, livre e ''vazio'', me torna feliz, ao saber que cá dentro, ainda existe vida, mesmo com algum fracasso passado. Ao passo que me abro, fecho as portas da duvida, e começo um ciclo bonito, livre, despretensioso...
Afinal, o Fluminense não pode ocupar sozinho o meu coração eternamente...

3 comentários:

Ricardo disse...

Estupidamente linda

Alan disse...

All you need is love... ♪

Anônimo disse...

simplismente belo