sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Curta e Grossa

Não há porquê retomar
viver chamando, recordando
revivendo.
Também não há tanta saudade assim,
Nem tampouco vontade
de tornar novamente realidade
essa coisa chamada amor.
Não há mais espaço
nem pedaço do que já foi!
Os herois se foram
As canções, 
e você, foi todo junto, e
ficaram somente os fantasmas
Entrelaçados nessa coisa chamada tristeza,
taciturnidade,
que bobagem!
Você se foi!
Já era!
Game over!
Gomenasai!
Mesmo que tudo tenha sido um bliss
não há por quê um bis
Mesmo ficando saudade
Não há porque tamanha saudade
de te trazer novamente
para a minha realidade!
Você é um pedaço bonito
de minha vida, que ficou pra trás
Seja lá em Paris
ou no meu quarto
Você é o fiel retrato
do que um dia eu sonhei pra mim
e do que era amor e dor, dessa ultima,
tudo restou.
Não sobrou nada doce,
ou singelo
somente as cinzas do que um dia foi sincero
e do que um dia foi tudo que mais quis.
E como eu quis...
 
 
 
Não dá pra rezar, moças!
Nem mais pra acreditar...
Serei curta e grossa
Feito as freiras de Comborça:
De você, nada mais importa!
como é ruim pensar isso

Nenhum comentário: