sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Confessionário Parte 1

  Like a Virgin! É como uma virgem que novamente volto a escrever intensamente sobre sentimentalidades. Virgem porque é como se minha inspiração estivesse brand new, ou virgem novamente.Isso não é crime, ou é? Todo mundo me pergunta se estou apaixonada por dedicar tantos verbetes veementes ou se estou a dedicar o coração a alguém. Respondo-vos que no momento o único homem que me habita o ser  chama-se Will Smith. É, aquele 'negão' mesmo. Acho  encantandor...
Mas voltando a falar sério, esclareço que não estou apaixonada, e aqui também me despeço dos estigmas de insensivel, fria e seca.Certamente vocês devem estar pensando que se trata de alguém secreto, ou então que enlouqueci de vez, mas digo que não é nada disso. Como diria o Caio Moço da Quimica, ''você fala muito bem sobre coisas as quais desconhece'', e essa é a explicação para tantas produções cadenciadas. Há um tempo me vi retorcida num ninho complicado de sentimentalidades e de repente, graças a ação do tempo, me vi 'livre' e desde então posso dizer que estou leve como uma pena.É dificil de se livrar mas, quando se livra, é uma fase nova que se inicia, posto que nada é pra sempre mesmo. Quando descrevo os sentimentos que me circundam, não necessariamente signifca que estou vivenciando algum deles. Posso falar de sexo como ninguem mas sequer conhecer. Posso descrever pra vocês muitas das coisas que gosto sem sequer ter visto alguma delas, ao vivo. Talvez seja um dom, certo? Talvez não. 
Quem sabe, é somente a capacidade de articular as idéias e transcrevê-las ao entendimento geral, como alguns o fazem bem e com certeza, melhor. É a vontade de escrever, simplesmente...
E quem sabe,um dia, realmente não apareça ou decida ficar um cara capaz de me fazer sentir, 'shinning and new' de novo...

Nenhum comentário: