terça-feira, 27 de outubro de 2009

Essa cor que me fascina


Essa cor que me fascina

Não tem nome de lugar nem de estado
Está apenas dentro de mim
Como um pedaço de mim, que está lá
Nos lugares por onde esse amor ufânico passa
Sem xenofobia, sem hierarquia!
Para amar a um, não necessariamente precisa detestar o outro
Para ser verdadeiro, não precisa ser inerente
Nem tampouco, pra sempre!
Precisa apenas que seja intenso
Sei te amar, Paraiba, como a uma mãe
Te prestar as honras pertinentes à uma grande nação
Embora essa, seja pequena aos olhos da multidão
Sei te respeitar não por me dar orgulho
Mas por ser meu orgulho
E já não me importo com os xenofobicos
Que vêem na cor que te pinto
Uma vergonha para quem te ama
Amo a totalidade da tua mãe maior
A nação Brasil
Que não tem cor, nem começo
Nem fim nem lamento
Nem capitania!
És para mim retrato de amor
Pintada com cores diferentes
Verde, branco e grená
E ja não me importo com o reclamar dos descontentes
Os irmãos aqui do lado
Que fazem da grande recife
Capital de um amor de xerife
Onde não se pode dedicar
A nada que aos seus arredores nao pertença!
Santa ignorancia!

3 comentários:

NykoN_TM disse...

Catucando as "onças" com vara curta neh? =***

João Paulo Seixas disse...

Extremamente contraditório do início ao fim.
Pensamento primitivo.. provinciano.
Nós somos Brasil, e amo isso. Mas não NEGO o meu estado, a minha não PERNAMBUCO, por que a TV me chama de menor. Pernambuco é maior do que eu possa imaginar, e ajudou, e muuuito, a construir esse país lindo. Maravilhoso pelas diferenças (salve: gilberto freyre, roberto da matta, sérgio buarque de holanda...)e que cada nação-estado, deveria perceber que somos banhados por essas diferenças..e não esquecê-las.. esquecendo assim a sua IDENTIDADE (TIRO NO PÉ!!). Não somos um único eixo. Que seja o dominante economicamente (por pouco tempo - de novo!), mas culturalmente preconceituoso. U eixo lindo como cultura desntro de suas limitações estaduais. As pessoas inteligentes de lá, sabem o que dizem, e percebem o que líderes de lá fizeram.. e acabam vindo pra cá! :) Não quero um nordeste independente. Quero nordestinos com cabeças independentes.

valeu!

João Paulo Seixas disse...

*Nação Pernambuco