quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Toda a luz do teu olhar


O meu lado escuro você nunca descobrirá
Nem deverá
Sou perigosa demais para que confie em mim
Costumo brincar com a sorte
e do azar nada temo
Já vivi o suficiente pra saber que ele é espectador!

E vive à espreita
Como o poder, o prazer e a dor!
o meu amor você nunca terá
Pelo menos não da forma correta
Não da forma conveniente
Nem da maneira como deveria
O meu amor é como erva daninha
cresce e destroi tudo ao redor


A minha dor é só minha
e eu não a quero dentro de ninguem
a não ser de mim mesma
já sei como suporta-la
E agora que você parece se importar
temo o que virá acontecer


O meu poder de te seduzir será a tua desgraça
O beijo que inebria
O calor que acende
O corpo que castiga

Seu amor é uma espécie de veneno
que quanto mais se bebe, mais se quer morrer dele
Mas eu tento te frear
Tomando minha dose diária de esquecimento
Tentando te afastar de meu pensamento
E essa minha maneira de te matar dentro de mim
É que por sua vez, acaba me matando!

Nenhum comentário: